Governo do Distrito Federal
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
17/01/24 Ă s 14h12 - Atualizado em 17/01/24 Ă s 14h17

đŸ‘źđŸ»â€â™€ïžđŸ‘©đŸ»â€đŸš’ PolĂ­tica das Mulheres na Segurança PĂșblica combate desigualdade de gĂȘnero

 

Carolina Alonso, da Ascom-SSP/DF

 

O Governo do Distrito Federal (GDF) criou duas novas medidas para o enfrentamento Ă  violĂȘncia contra a mulher: a PolĂ­tica das Mulheres na Segurança PĂșblica do DF e o Conselho das Mulheres da Segurança PĂșblica. As novas ferramentas consistem em um conjunto de polĂ­ticas pĂșblicas para garantir a equidade de gĂȘnero e combater todas as formas de desigualdade e discriminação dentro das forças de segurança do DF, alĂ©m de proporcionar o respectivo acompanhamento e desenvolvimento de novas açÔes internas por meio do novo ĂłrgĂŁo de deliberação coletiva. As medidas foram publicadas no DiĂĄrio Oficial do DF (DODF) desta terça (16).

 

O grupo deverĂĄ propor estudos e açÔes para o aprimoramento de polĂ­ticas Ă s mulheres na ĂĄrea de segurança pĂșblica e estimular o apoio e o debate entre as forças para coibir todas as formas de violĂȘncia contra as mulheres. Entre os objetivos da nova polĂ­tica estĂĄ a proposição de adaptaçÔes Ă  estrutura laboral e Ă s condiçÔes de trabalho, levando-se em conta as necessidades especĂ­ficas das mulheres integrantes das forças de Segurança PĂșblica, tais como os perĂ­odos de maternidade e amamentação, alĂ©m das peculiaridades de cada ĂłrgĂŁo. SerĂĄ, ainda, estimulada a pesquisa cientĂ­fica acerca de temas relativos ao acesso e ingresso de mulheres nos ĂłrgĂŁos integrantes.

 

Formado por mulheres, o conselho irå criar, acompanhar e monitorar o cumprimento de políticas setoriais aprovadas pelas forças de segurança | Foto: Divulgação/SSP-DF

Formado por mulheres, o conselho irå criar, acompanhar e monitorar o cumprimento de políticas setoriais aprovadas pelas forças de segurança | Foto: Divulgação/SSP-DF

 

O novo conselho irĂĄ criar, acompanhar e monitorar o cumprimento dos objetivos definidos nas polĂ­ticas setoriais aprovadas pelas instituiçÔes integrantes das forças de segurança e serĂĄ composto por mulheres representantes da Secretaria de Segurança PĂșblica do Distrito Federal (SSP-DF), da PolĂ­cia Militar (PMDF), da PolĂ­cia Civil (PCDF), do Corpo de Bombeiros (CBMDF), do Departamento de TrĂąnsito (Detran-DF) e da Secretaria de Administração PenitenciĂĄria (Seape-DF).

 

“O enfrentamento Ă  violĂȘncia domĂ©stica Ă© papel do governo e de toda a sociedade, e deve ser feito em vĂĄrias frentes, entre elas a de fortalecer a mulher na conquista de espaço de poder, levando em conta as necessidades especĂ­ficas de cada uma, sobretudo as que atuam na segurança pĂșblica. O DF foi pioneiro na histĂłria do Brasil em ter duas comandantes-gerais mulheres nas forças pĂșblicas estaduais. Isso mostra a prioridade e o compromisso do governo com essa pauta”, afirma o secretĂĄrio de Segurança PĂșblica, Sandro Avelar.

 

Cada ĂłrgĂŁo terĂĄ o prĂłprio comitĂȘ permanente para o planejamento e o desenvolvimento das açÔes que farĂŁo parte das polĂ­ticas pĂșblicas direcionadas Ă s mulheres integrantes das instituiçÔes. Os comitĂȘs deverĂŁo apresentar, anualmente, as metas e as açÔes que serĂŁo desenvolvidas para o cumprimento dos objetivos definidos. Todas as proposiçÔes deverĂŁo ser consideradas para os fins de planejamento estratĂ©gico das forças de segurança, bem como para a execução dos trabalhos atinentes a cada uma delas.

 

Edição: Marcelo Klotz, da Ascom-SSP/DF, e Vinicius Nader, da AgĂȘncia BrasĂ­lia.

Governo do Distrito Federal