Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
25/05/20 às 11h37 - Atualizado em 25/05/20 às 11h45

🚨😷Suspensão de visitas ao sistema penitenciário segue até dia 29 de maio

COMPARTILHAR

Adriana Machado, da Ascom – SSP/DF

 

As visitas aos detentos que cumprem pena nas unidades prisionais do Distrito Federal permanecem suspensas até o próximo dia 29 de maio. A medida será reavaliada até o final desta semana pela Subsecretaria do Sistema Penitenciário (SESIPE), vinculada à Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF).

 

As visitas não ocorrem desde o dia 12 de março. A suspensão tem caráter preventivo e está alinhada às ações do Governo do Distrito Federal (GDF) voltadas para a prevenção do contágio pelo novo coronavírus.

 

Antes da suspensão, as visitas ocorriam, semanalmente, às quartas e quintas-feiras. Às sextas, uma pequena parcela de sentenciados recebia visitantes.

 

Para viabilizar o contato de familiares e amigos com internos durante o período, as unidades prisionais passaram a permitir o envio de cartas por meio de aplicativo de mensagens, que podem ser enviadas por meio do site da Sesipe, no link do cadastro de visitantes.

 

Como funciona
O familiar ou amigo cadastrado deverá acessar o mesmo link em que retira senhas para realizar visitas. Após confirmação de dados, será aberto um espaço para incluir as informações. A mensagem será impressa e entregue ao interno, pela equipe do Núcleo de Visitas de cada unidade prisional, e poderá responder à mensagem.

 

Hospital de campanha
No sábado (23), o governador Ibaneis Rocha visitou as instalações do hospital de campanha que está sendo construído no Complexo da Papuda. O secretário de Segurança Pública, o delegado Anderson Torres, e o subsecretário do Sistema Penitenciário, o também delegado Adval Cardoso, acompanharam a vistoria.

 

Com investimentos em torno de R$ 5,9 milhões, a obra prevê cerca de mil metros de área construída, dez leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com equipamento avançado para ventilação mecânica e outros 30 leitos de enfermaria com suporte.

 

Será possível separar os ocupantes pelo perfil– como integrantes de facções e ex-policiais – ou por doença, sendo a unidade adaptável a qualquer patologia após a pandemia de Covid-19.

 

Já foram concluídas as fundações das obras e da infraestrutura para a rede elétrica e cabeamento de dados, assim como a montagem dos módulos pré-fabricados – semelhantes a contêineres, feitos de material resistente a fogo.

 

O projeto prevê sistema de isolamento térmico e acústico, além de uma rede de fibra óptica para se interligar ao sistema da Secretaria de Saúde (SES), com suporte para as câmeras de vigilância.

 

A mudança de Hospital de Campanha para unidade definitiva é decisão administrativa. O subsecretário de Infraestrutura em Saúde, Isaque Albuquerque, explica que a escolha por materiais técnicos sólidos e resistentes permite a mudança. (informações Agência Brasília)

 

Edição: Lanna Morais