Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/03/19 às 19h11 - Atualizado em 28/03/19 às 12h45

SSP/DF inicia oficina de teatro para prevenção da criminalidade

COMPARTILHAR

 

 

Adriana Machado, da SSP/DF

 

Companhia da Secretaria de Segurança Pública (SSP/DF), iniciou, nesta terça-feira (26), uma oficina de teatro para vinte alunos, de 13 a 18 anos, da Escola do Parque da Cidade (PROEM). Com carga horária de 60h/a, a oficina tem como objetivo contribuir com a promoção da cultura de paz.

 

O Proem atende estudantes da educação básica do ensino fundamental, anos iniciais e modalidade de educação especial. Os alunos moram em regiões administrativas e Entorno do Distrito Federal e, em sua maioria, encontram-se em situação de vulnerabilidade social e criminal.

 

As aulas são ministradas por dois policiais da Subsecretaria de Prevenção à Criminalidade (SUPREC), da SSP/DF – a escrivã da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) e mestra em Cultura de Saberes pela Universidade de Brasília, a atriz Lívia Fernandez, e pelo policial militar e ator, Genivaldo Sampaio. A metodologia consiste na utilização de Jogos Teatrais, de Augusto Boal e Viola Spolin.

 

“Para quem está começando a fazer teatro esta metodologia de jogos teatrais é a ideal, pois as aulas são práticas. Além disso, é uma forma de trabalharmos temas do cotidiano deles, como mercado de trabalho, racismo e violência, e colocá-los no centro destes problemas, para que eles encontrem a melhor forma de resolvê-los. Desta forma, trabalhamos também a política pública da prevenção”, explicou a professora, Lívia Fernandez.

 

Esta é a quarta oficina realizada pelo grupo e para os alunos do Proem é a segunda vez que entram em sala. Para Lívia, ao final das aulas, os alunos estão mais expressivos e aceitando melhor a identidade de cada um. “Trabalhamos a auto estima destes alunos e mostramos como são capazes de realizar o que sonham. Quando as aulas terminam, sinto que estão mais empoderados”.

 

Já o professor Genivaldo observou melhor aceitação dos alunos nesta oficina. “O primeiro contato que tivemos com os alunos foi muito bom. Eles tiveram uma aceitação positiva do nosso trabalho. Muitos assistiram a peça Baby, que apresentamos no início deste mês, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher”.

 

Edição: Nicole Vasconcelos