Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
19/12/16 às 22h09 - Atualizado em 29/10/18 às 12h40

SSP acompanha desocupação pacífica de imóveis no Paranoá

COMPARTILHAR


Famílias que viviam em invasão no Noroeste aguardavam a entrega dos apartamentos

 

Mais duas famílias de baixa renda conseguiram reaver o apartamento de maneira pacífica no Paranoá Parque nesta segunda-feira (19). A Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, com o apoio da Polícia Militar, acompanhou a desocupação dos imóveis que haviam sido ocupados irregularmente. Os moradores tiveram que sair dos apartamentos mediante decisão judicial que foi provocada pela Defensoria Pública do Distrito Federal. No último sábado, outros quatro imóveis haviam sido desocupados sem que fosse registrado qualquer conflito ou resistência.


Das 12 famílias que aguardavam para receber as chaves da casa própria, seis já conseguiram realizar esse sonho. Desde o último mês de outubro, elas estavam sendo abrigadas provisoriamente pelo Movimento Eureka na 906 Norte, que é ligado à Arquidioscese de Brasília. Elas viviam em uma invasão em uma área situada próxima ao setor Noroeste. Após um acordo, foram retiradas do local e vinham recebendo assistência social de órgãos do governo.


“Quando eu vim fazer a vistoria, já depois até de ter assinado o contrato, a primeira coisa que eu encontrei foi essa grade. Foi muito triste, você passar um bom tempo esperando seu apartamento e quando você vem olhar tem gente dentro”, desabafou Leidiane Amorim. Ao receber as chaves do apartamento, a dona de casa que é mãe de seis filhos não escondeu a emoção e afirmou “daqui pra frente é vida nova”.


O gerente de mobilização social da Codhab, Rafael Venutu, explicou que as famílias que invadiram os imóveis têm 48 horas a partir da notificação do órgão para entregar os apartamentos sob pena de serem excluídas da lista de espera. “Existe uma lei distrital (2.576/2000) que prevê a perda do benefício em caso de invasão antecipada dos imóveis” detalhou Venutu. 


Leia também: 

SSP coordena retirada pacífica de famílias próximo ao Noroeste

Catadores que ocupavam área pública no Noroeste são assistidos pelo governo em parceria com a Arquidiocese de Brasília