Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
3/07/20 Ă s 19h46 - Atualizado em 24/07/20 Ă s 19h11

🌞Segurança PĂșblica faz orientaçÔes para o perĂ­odo de estiagem durante live

COMPARTILHAR

Adriana Machado, da Ascom – SSP/DF

 

Os cuidados com a saĂșde e com o meio ambiente no perĂ­odo de estiagem foram debatidos durante live promovida pela Secretaria de Segurança PĂșblica do Distrito Federal (SSP/DF), nesta sexta-feira (3). Representantes da Subsecretaria do Sistema de Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal participaram da entrevista ao vivo. Internautas colaboraram ativamente da transmissĂŁo com questionamentos, sugestĂ”es e elogios ao tema.

 

O subsecretĂĄrio da Defesa Civil, coronel Alan AraĂșjo, explicou a importĂąncia em adotar medidas para amenizar as sensaçÔes causadas pelo perĂ­odo de estiagem. “O mais importante Ă© ingerir bastante ĂĄgua durante todo o dia. Os exercĂ­cios fĂ­sicos devem ser evitados no horĂĄrio entre 10h e 16h e os cuidados com idosos e crianças devem ser redobrados”.

 

De acordo com o subsecretĂĄrio, o Distrito Federal nĂŁo se encontra no perĂ­odo crĂ­tico da seca, quando a umidade relativa do ar fica abaixo de 30% , por no mĂ­nimo, trĂȘs dias consecutivos, mas que as cuidados jĂĄ podem entrar na rotina dos brasilienses. “A partir de agosto devemos passar pelo perĂ­odo crĂ­tico. Atualmente, essa massa de ar frio sobre o Distrito Federal estĂĄ retardando os efeitos da seca”, avaliou.

 

A Defesa Civil classifica os nĂ­veis de umidade em trĂȘs tipos: estado de atenção, quando a umidade fica entre 20% e 30% por cinco dias consecutivos ; estado de alerta, com umidade entre 12% e 20% por trĂȘs dias consecutivos e o estado de emergĂȘncia, que Ă© declarado quando a umidade fica abaixo dos 12% por, no mĂ­nimo, dois dias consecutivos.

 

Utilizar vaporizadores, toalhas molhadas e recipientes com ĂĄgua para umidificar os ambiente es ficar atento aos alertas da Defesa Civil. “ É importante ter cuidado com as bacias de ĂĄgua e colocĂĄ-las em locais adequados, evitando assim um acidente. Pois o morador pode nĂŁo se atentar. No perĂ­odo da noite Ă© melhor optar pelos umidificadores”, contou.

 

Os cuidados para evitar incĂȘndios florestais foram pontuados pelo comandante especializado do CBMDF, tenente-coronel Bruno Tempesta. “Ao sinal de incĂȘndio ou fumaça Ă© imprescindĂ­vel que seja feito contato imediato com 193. É importante, para melhor identificação do local e atuação da corporação, que seja informado um ponto de referĂȘncia. Outra coisa: nunca deixe de ligar pensando que jĂĄ fizeram contato antes. Todo cuidado Ă© necessĂĄrio”. Um outro canal para avisar a corporação sobre a ocorrĂȘncia de incĂȘndios florestais Ă© o telefone do Grupamento Especializado em Proteção Ambiental (GEPRAM) – 39012930.

 

A parceria junto Ă  Secretaria do Meio Ambiente (SEMA) foi pontuada por Tempesta. “Por meio do Plano de Prevenção e Combate a IncĂȘndios Florestais, coordenado pela SEMA, juntamente de outras dezessete instituiçÔes, focamos na redução de ĂĄrea queimada no DF”.

 

O comandante explicou tambĂ©m como funciona a Operação Verde Vivo, que Ă© executada em quatro fases pela corporação. “A Operação Ă© contĂ­nua, com focos em diferentes Ă©pocas do ano. Claro que durante o perĂ­odo de estiagem a ação Ă© muito maior, mas para redução de ĂĄreas queimadas, trabalhamos durante todo ano”.

 

A primeira delas ocorre entre abril e maio. Nesta etapa a corporação juntamente da Secretaria do Meio Ambiente (SEMA) focam na conscientização da comunidade, em especial dos moradores de ĂĄreas rurais – onde habitualmente hĂĄ os maiores focos de incĂȘndios. É tambĂ©m o perĂ­odo em que bombeiros sĂŁo capacitados para atuar no combate a incĂȘndios no Cerrado.

 

“Uma das primeiras açÔes dentro da Operação Ă© realizar o trabalho de prevenção e informação junto a toda essa população. Cedemos atĂ© mesmo materiais a esse pĂșblico,caso eles solicitem e tenhamos disponibilidade”.

 

A terceira fase – que compreende os meses de agosto a outubro – Ă© a mais crĂ­tica, pois engloba o perĂ­odo de estiagem, em que as queimadas tendem a aumentar. A partir deste estĂĄgio, as unidades do Corpo de Bombeiros aumentam a mobilização para o atendimento dos casos de incĂȘndios florestais. Em novembro, com o inĂ­cio das chuvas, ocorre a desmobilização gradual das equipes destacadas exclusivamente para as queimadas.

 

Edição: Nicole Vasconcelos

Foto: AgĂȘncia BrasĂ­lia