gototop





FacebookTwitter
Segunda, 08 Janeiro 2018

Forças de Segurança apresentam balanço positivo de 2017

  Igor Nogueira
Forças de Segurança apresentam balanço positivo de 2017 Arte: Ascom SSP/DF

Destaques para redução de mortes no trânsito, atendimentos da PMDF, prisões efetuadas pela PCDF e ações do CBMDF para conter queimadas

As Forças de Segurança do Distrito Federal apresentaram resultados favoráveis em 2017, comparados ao ano de 2016. Os números foram divulgados nesta terça-feira (9), durante coletiva realizada na Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social (SSP/DF). Os representantes das Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros Militar e Departamento de Trânsito do DF participaram do balanço.

Destaque para a atuação do Detran/DF, cujas ações contribuíram para a redução das mortes no trânsito em 35%. Em 2016, 390 pessoas envolveram-se em acidentes fatais, enquanto no ano passado foram 254 casos, ou seja, 136 a menos. A queda é resultado da grande quantidade de ações educativas desenvolvidas pelo órgão (826 apenas em 2017) e fiscalização, com a autuação de 24.425 condutores que insistiam em dirigir embriagados. Além disso, 6.808 placas de trânsito foram recuperadas, implantadas e substituídas ao longo do ano.

Segundo o diretor-geral de Detran/DF, Silvain Fonseca, a redução das mortes nas vias do DF é consequência da maior conscientização dos motoristas e está ligada às punições que o órgão impôs aos que insistem em dirigir mesmo com a CNH cassada ou suspensa. “Durante todo o ano, nas ações da PMDF e o Detran/DF foram mais de 24 mil autuações por alcoolemia e o mais importante é que 98% dessas autuações foram feitas antes do envolvimento dos condutores com acidentes de trânsito, o que vem mudando esse comportamento”, revelou Fonseca.

Quase cinco mil condutores tiveram a carteira de motorista suspensa ou cassada pelo Departamento em 2017. A frota de veículos do DF saiu de 1,6 milhões em 2016 para 1,7 milhões no ano passado.

A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) também contribuiu para a redução do número de mortes no trânsito. Em 2017, a corporação realizou mais de 340 mil autuações de trânsito. As notificações por alcoolemia ultrapassaram a casa das 17 mil. Para o comandante-geral, coronel Marco Antônio Nunes, a colaboração dos dois órgãos é essencial para o resultado alcançado pelo Governo de Brasília no período.

Mais de 2,4 mil armas de fogo foram retiradas das ruas pela PMDF ao longo do ano passado. A ação reflete diretamente na redução de crimes contra o patrimônio, que em 2017 registraram queda de 5% em relação a 2016. Mais de 2,3 milhões de ligações foram atendidas pelo 190 e mais de 340 mil ocorrências foram registradas pelas equipes operacionais.

De acordo com o comandante-geral da PMDF, Marcos Antônio Nunes, a quantidade de armas de fogo que foram retiradas das ruas pela corporação ao longo do ano passado reflete nos números produtivos apresentados durante a coletiva. “É importante ressaltar que esse número impacta diretamente na redução dos crimes ao patrimônio e da criminalidade em geral”, destacou.

O ciclo de segurança se completa com as ações desenvolvidas pela Polícia Civil (PCDF), com o trabalho de investigação qualificada desenvolvida no ano passado. O resultado foi um aumento de 34,5% no número de adultos presos por mandado de prisão. Em 2016, foram mais de 4,5 mil prisões do tipo, enquanto em 2017 cerca de seis mil pessoas foram presas após expedição de mandado pela Justiça.

O diretor do Departamento de Polícia Circunscricional da PCDF, Jeferson Gimenes, que representou o diretor-geral Eric Seba na coletiva, destacou a eficiência da instituição na apuração dos crimes contra a vida. “A PCDF vem realizando uma apuração rápida, uma prisão efetiva dos autores desses crimes. Esses crimes são complexos, devem ser realmente decifrados, não bastando apenas apontar o criminoso. Nós temos que juntar uma série de provas mostrando para o Judiciário que aquela pessoa é realmente o autor e assim prendê-lo e mantê-lo preso”, explicou.

A PCDF também contabilizou a prisão em flagrante de 2,7 mil pessoas, o que inclui as ações da PMDF. O número é 4,5% maior que o registrado em 2016, quando 2,6 mil prisões foram efetuadas. A quantidade de menores apreendidos por meio de mandado de busca ou apreensão também subiu. Foram mais de 1,6 mil apreensões em 2017, quando comparado ao ano anterior, o aumento chega a 31%.

Outro dado que chamou a atenção durante a divulgação foi o número de ocorrências por incêndios florestais registradas pelo Corpo de Bombeiros Militar do DF (CBMDF) em comparação com o total da área queimada. Em 2016 mais de sete mil ocorrências foram contabilizadas, enquanto em 2017 o número ultrapassou dez mil. Apesar do aumento no número de chamados, a área queimada diminuiu em mais de mil hectares, saindo de 17,4 mil em 2016 para 16,2 mil durante o ano passado.

O subcomandante-geral do CBMDF, coronel Luiz Claudio Castro, destacou o trabalho da operação Verde Vivo, que teve como foco a redução de incêndios florestais. “Nós descentralizamos o atendimento em todos os pontos do Distrito Federal podendo, assim, diminuir o tempo de resposta a essas ocorrências. Isso também nos ajudou na contenção dos nossos mananciais diante da crise no abastecimento de água do DF”, explicou.

Além dos atendimentos operacionais, os bombeiros desenvolveram ao longo do ano vários projetos sociais, alcançando um público estimado de quase 240 mil pessoas, em programas como Bombeiro Mirim, Bombeiro Amigo, Caminhando com Saúde, Aleitamento Materno, Cão Guia, entre outros.

Acesse aqui a íntegra da apresentação da coletiva. 

VOCÊ ESTÁ AQUI: Início Notícias Forças de Segurança apresentam balanço positivo de 2017