Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
24/06/16 às 17h38 - Atualizado em 29/10/18 às 12h39

Entidades terapêuticas recebem alimentos doados na Corrida Tiradentes

COMPARTILHAR

Iniciativa faz parte de um conjunto de ações preventivas do Viva Brasília – Nosso Pacto pela Vida e de colaboradores no enfrentamento às drogas


Na semana de comemoração ao Dia Internacional Contra o Abuso de Drogas e o Tráfico Ilícito, cinco comunidades terapêuticas que oferecem acolhimentos gratuitos a usuários de drogas receberam, na manhã desta sexta-feira (24), da secretária da Segurança Pública e da Paz Social, Márcia de Alencar, duas toneladas de alimentos não perecíveis arrecadados em maio na 12ª edição da Corrida Tiradentes pela Cidadania da Polícia Militar.

Os alimentos, como arroz, açúcar e feijão, vão ajudar nas despesas das entidades com o tratamento de dependentes químicos, que dura de seis meses a um ano. A Corrida de Tiradentes reuniu cerca de 2 mil participantes em dois percursos, entre o Eixo Monumental e a Esplanada dos Ministérios.

O fundador da Salve a Si, José Henrique França, ressalta que toda ajuda é fundamental para manter o funcionamento da instituição e permitir que mais dependentes consigam tratamento de forma humanizada. “Um dependente químico custa, em média, 3 mil reais por mês. Embora tenhamos um repasse significativo do governo, passamos por dificuldades”, afirma. A entidade, em funcionamento há oito anos, realiza atendimentos em quatro núcleos e atende 120 homens. O principal acolhimento funciona na unidade da Cidade Ocidental (GO). Os demais – Ceilândia, Jardim Botânico e Paranoá – são unidades voltadas para orientações familiares, pós-tratamento e funções administrativas.

A ideia de fundar a Salve a Si surgiu após a experiência de França ter consumido crack por 23 anos. Hoje, ele faz o trabalho de convencimento. “Por anos usei a droga pelas ruas do Setor Comercial Sul. Voltei este ano ao local e consegui levar 57 usuários à instituição”, conta. Coordenador-geral da Abba Pai, localizada no Núcleo Rural Monjolinho entre Samambaia e Águas Lindas, Jean Pierre conta que a entidade atende 38 homens incluídos em programas de alcoólicos e narcóticos anônimos. “São oferecidas cinco refeições diárias para os acolhidos”, diz Pierre. Das diversas terapias realizadas na entidade, há a questão religiosa como alternativa para o tratamento”, destaca Pierre.

Para a secretária Márcia, o foco na redução dos crimes violentos, como roubos e homicídios, só é possível com a sensibilização das diversas áreas do governo envolvidas na questão e com a mobilização da sociedade. “Se não dermos atenção principalmente aos jovens, com ações preventivas para inibir a presença de drogas, perderemos para aqueles que querem nos tirar nosso maior bem”, ressalta.

A entrega dos alimentos ocorreu na Subsecretaria de Segurança Cidadã da SSP e reuniu, além da secretária da Segurança Pública e da Paz Social, Márcia de Alencar, representantes da Secretaria de Justiça e Cidadania, da Frente Distrito Federal Contra as Drogas, e das comunidades terapêuticas Salve a Si, Abba Pai, RAV, Instituto Crescer e Caverna Adulão.

Caminhada pela paz

A iniciativa faz parte de um conjunto de ações da atual política de segurança, o Viva Brasília – Nosso Pacto pela Vida para comemorar a semana de enfrentamento às drogas. Dentro da programação da SSP, está a 1ª Caminhada de Prevenção às Drogas pela Cultura de Paz, que ocorrerá no domingo (26), de 8h às 12h, no Eixão do Lazer. A caminhada, de dois quilômetros, será da altura da 102/202 Sul até a 104/204 Sul. (Saiba mais sobre o evento aqui)