Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
16/09/19 às 18h30 - Atualizado em 17/09/19 às 17h27

Consegs: chapas eleitas por aclamação são certificadas

COMPARTILHAR

 

Nicole Vasconcelos, da ASCOM – SSP/DF 


A presidência da comissão eleitoral dos Conselhos Comunitários de Segurança do Distrito Federal (Consegs) convocou, nesta segunda-feira (16), membros das chapas únicas de regiões administrativas, para recebimento do Certificado de Aclamação de Chapa.

 

Após a assinatura do termo de comparecimento, os componentes dos 22 Consegs receberam, das mãos do chefe de gabinete da secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, Reinaldo Vilar, o documento.

 

Representando o secretário da SSP/DF, Vilar incentivou os grupos. “Vamos fortalecer os Consegs. Sabendo das demandas de cada região, podemos trabalhar para oferecermos mais segurança à população”, disse.

 

De acordo com o secretário delegado Anderson Torres estes Conselhos Comunitários são de suma importância para a pasta. “É por meio dos Consegs que construímos uma integração cada dia mais forte com a sociedade. Eles nos trazem reivindicações que resultam em ações para a melhoria da qualidade de vida da população. É um dos vetores que nos dá noção de prioridade na Segurança Pública”, afirmou Torres.

 

Após a posse da diretoria eleita, as atividades terão início na primeira quinzena do mês de novembro, em solenidade presidida pelo Secretário de Estado da Segurança Pública do Distrito Federal.

 

Não é possível concorrer aos cargos de forma individual, sendo necessário o credenciamento por meio de chapas, que devem apresentar candidatos a todos os cargos. O mandato tem duração de quatro anos. A reeleição será permitida uma única vez. As chapas poderão ser eleitas por entidades representativas que comprovem sua atuação de pelo menos dois anos, prefeituras e associações Comunitárias; condomínios verticais e horizontais, escolas públicas e privadas, entidades filantrópicas e religiosas, conselhos comunitários de moradores. Elas se inscrevem até a primeira quinzena de agosto do ano eleitoral.

 

Eleições
As eleições para a composição dos Conselhos Comunitários de Segurança (Consegs) ocorreram sábado (14), nas instalações de órgãos públicos da respectiva região administrativa. Eles são a ponte entre a comunidade e o governo. Por meio dos Consegs a população do Distrito Federal pode contribuir com a segurança pública participando das reuniões. Ao todo, são 37 conselhos – cada região administrativa tem pelo menos um em funcionamento.

 

Servidores da SSP/DF e representantes das administrações regionais foram treinados para atuarem nas diversas funções necessárias para que o pleito ocorresse conforme a legislação prevista, nas eleições dos Consegs. O curso foi ministrado por profissionais da Assessoria Especial da SSP/DF.

 

Ao todo, foram convocadas 42 pessoas para esta capacitação. A comissão eleitoral tem caráter provisório e se extingue com o encerramento do processo eleitoral.

 

A presidente da Federação dos Conselhos Comunitários de Segurança do DF (Feconseg-DF), Flávia Portela de Carvalho, foi reeleita presidente do Conseg Brasília Centro e falou da importância deste tipo de trabalho. “Acho que esta eleição é um prosseguimento. Nós tivemos quatro anos de muitas conquistas, de conhecimentos. Agora vejo que há um reconhecimento e um caminho a seguir, de parcerias. Eu só tenho a agradecer a secretaria de Segurança e dizer que todos nós estamos mais maduros para realizarmos esta tarefa tão importante para sociedade”, contou Flávia.

 

 

Luciene Cordeiro, eleita presidente do Conseg da região de São Sebastião, atua ajudando na causa desde 2010. “Os Consegs são muito importantes, não só para São Sebastião, que é a minha terra, onde resido há mais de 26 anos. Conheço de fato os problemas da cidade, a realidade”. E fala sobre a integração com a SSP/DF. “Temos uma boa relação com a secretaria de Segurança e os demais órgãos do Distrito Federal. Atuamos na ponta, não só na área de segurança, como na da educação. Contribuímos com a direção das escolas, para que tenham mais segurança. Este é um trabalho voluntário e temos que estar motivados, para que, de fato, seja um resultado positivo para a região”, completou.

 

Edição: Lanna Morais

Fotos: Maurício Araújo