Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/05/20 às 14h56 - Atualizado em 15/05/20 às 14h56

🚨😷 Detran-DF aumenta oferta de serviços online e atendimentos aumentam

COMPARTILHAR

Agência Brasília

 

Os postos de atendimento do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) estão fechados há quase dois meses em razão da pandemia decorrente das infecções pelo novo coronavírus. E os brasilienses, que já trabalham de casa e participam de reuniões com ajuda da internet, fazem compras em sites e matam a saudade da família por chamadas de vídeo, podem contar com a tecnologia também para acessar serviços que antes eram prestados apenas presencialmente pelo órgão.

 

Atualizar o endereço, pedir uma nova placa para o veículo, imprimir o documento do carro ou solicitar a conversão da placa para o modelo Mercosul podem ser feitos on-line, sem sair de casa. O Portal de Serviços do Detran-DF  disponibiliza 15 serviços que podem ser feitos pela internet.

 

Para navegar pelo site, é preciso que o motorista crie um login, cadastrando CPF e data de nascimento. Alguns serviços, como o cadastro do endereço ou do veículo ou da habilitação, exigem que a biometria do cidadão esteja registrada no órgão, o que é feito junho de 2018 quando o motorista é habilitado pela primeira vez ou quando a carteira é renovada.

 

Filas enormes
O diretor-geral do Detran, Zélio Maia, conta que quando assumiu o cargo, no começo de março, antes da declaração de pandemia e do isolamento social, se deparou com as filas homéricas nos postos de atendimento e que levavam quatro, cinco horas para o atendimento.

 

“O cidadão ia até ao Detran para fazer qualquer tipo de requerimento. Percebi que, muitas daquelas solicitações, como a credencial de estacionamento para o idoso, a alteração de endereço ou a consulta de débitos, podiam ser feitas pela internet e até já estavam disponíveis, mas as pessoas não sabiam”, diz.

 

O atendimento ao público também era prejudicado pelas constantes quedas do sistema de informática. “Na primeira semana conseguimos estabilizá-lo, o que fez com que atendimento caísse de cinco horas para cinquenta minutos de espera, o que ainda não é o ideal, mas já foi uma conquista de imediato”, relata Maia.

Paralelamente, o órgão começou uma campanha para informar a população sobre o que poderia ser feito pelo site. Depois vieram os casos de Covid-19 e as medidas adotadas pelo GDF para conter o avanço do coronavírus. O atendimento ao público foi suspenso no dia 18 de março e os funcionários da área de informática do Detran conseguiram, então, ampliar a quantidade de serviços disponíveis pela internet, que eram apenas sete.”A pandemia nos trouxe a dúvida de como íamos prestar alguns serviços já que o distanciamento social impunha o fim do atendimento presencial”, afirma o diretor-geral.

 

Mais serviços, mais acessos
Veio, assim, a revolução digital no Detran. Os acessos ao site passaram de 4,5 mil por mês para uma média de 49 mil (dados de abril), 11 vezes mais. Desde primeiro de março até quarta-feira (13), o Portal de Serviços teve 188 mil acessos.

 

Arte: Édipo Torres/Agência Brasília

 

 

“Às vezes o cidadão ia ao Detran, chegava lá faltava uma multa para pagar. Então ele saia da fila, ia resolver o problema da multa, voltava e tinha que pegar uma outra senha. Ou seja, era retrabalho para o servidor e para o usuário. São idas e vindas que impactavam o atendimento”, afirma o diretor.

 

Agora, o trabalho do Detran é manter o avanço tecnológico conquistado, aumentar os serviços disponíveis pela internet e modernizar toda sua estrutura. Segundo Maia, o órgão tem um projeto de tecnologia dividido em três fases. A primeira delas era aumentar o acesso ao portal. Depois o objetivo era organizar a gestão do sistema de tecnologia, o que também já foi feito.

 

A próxima fase é fazer toda a renovação do parque tecnológico da entidade.”Estamos investindo pesado na tecnologia. O Detran tem um sistema de 1995. Temos softwares que não eram atualizados há sete anos. Então estamos usando um sistema de tecnologia atrasado e, mesmo um ou outro programa mais recente, de boa qualidade, não está interligado com os demais. Isso impactou num atraso como um todo”, reconhece.

 

Vistorias
Na última segunda-feira (11), o Detran publicou, no DODF, uma instrução normativa  possibilitando a realização de vistorias fora das dependências da autarquia. Assim, o serviço é feito ainda nas concessionárias. É preciso que tenha pelo menos 24 veículos que precisem  fazer a vistoria. Um vistoriador então é deslocado para a agência, sem a necessidade de pagamento de qualquer taxa.

 

“A vistoria em si em si, demora 15, 20 minutos. O que mais impactava negativamente no atendimento era o período pré-atendimento”, explica o diretor-geral do Detran. “Aproveitamos esse período de pandemia e direcionamos esse serviço para fora do Detran. Mas a nossa ideia é de que isso continue a ser feito, mesmo depois de voltarmos às nossas atividades”, conclui.