Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/01/20 às 11h15 - Atualizado em 23/01/20 às 11h23

👀👮‍♀️SSP/DF inaugura parque de videomonitoramento em Ceilândia

COMPARTILHAR

Da Ascom – SSP/DF

 

A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF) inaugura, nesta quinta-feira (23), parque de videomonitoramento com o maior número de câmeras ativas em Ceilândia. Cidades como Sol Nascente e Pôr do Sol também serão vigiadas por meio do sistema. Com o Projeto de Videomonitoramento Urbano, a cidade mais populosa do DF ganha mais segurança com o reforço de 64 câmeras monitoradas pelo Centro Integrado de Operações de Brasília (CIOB).

 

“Ceilândia necessita desse tipo de controle pela grande incidência de ocorrências na região. Instalamos câmeras em áreas que recebem um grande fluxo de transeuntes. Então, locais como o centro da cidade, feiras, setor de bancos e comércio, terminais rodoviário e do metrô serão nossa prioridade”, informa o secretário de Segurança Pública do DF, delegado Anderson Torres.

 

“Esse projeto nos permite identificar suspeitos de crimes mais rapidamente. As câmeras também auxiliam nas investigações policiais, acompanhamento de manifestações e trânsito. Além disso, o CIOB, responsável pelo monitoramento das imagens, também recebe solicitações de recortes de imagens de órgãos que fazem investigação, como Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), Ministério Público do Distrito Federal (MPDFT) e Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT)”, completa o secretário.

 

Os equipamentos, instalados em pontos estratégicos, se dividem em fixos e móveis e serão acompanhados de uma Central de Monitoramento localizada no Quartel do 10° Batalhão da Polícia Militar da cidade. As imagens recebidas pelo CIOB poderão ser consultadas pelas demais Forças de Segurança do DF e órgãos investigativos. O policial operador do sistema poderá monitorar os diversos pontos da cidade e acompanhar as cenas com imagens fixas, movimentações laterais, giros de 360° e zoom com capacidade de aproximação de 2 quilômetros.

 

Cabe esclarecer que o CIOB monitora áreas de interesse que seguem, principalmente, as manchas criminais, que mostram os dias, horários e locais de maior incidência dos crimes – e identifica indivíduos com atitudes suspeitas. As imagens transmitidas por meio do sistema de videomonitoramento contribuem, junto com o policiamento ostensivo da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), para a diminuição da criminalidade e o aumento da sensação de segurança. Além de auxiliar a promoção de ações de segurança pública, o trabalho integrado dos 22 órgãos que compõem o Centro corrobora com a mobilidade, fiscalização e saúde da população do DF.

 

Projeto de Videomonitoramento Urbano

 

Atualmente, existem 644 câmeras de videomonitoramento fixas e móveis da SSP/DF instaladas em regiões administrativas do DF. Destas, 581 transmitem imagens para o Centro Integrado de Operações de Brasília (CIOB). Em janeiro de 2018, 70 câmeras de videomonitoramento estavam instaladas no DF. Já no mesmo mês do ano passado, o número de equipamentos instalados subiu para 450. Em janeiro deste ano, são 581 câmeras instaladas.

 

O projeto de videomonitoramento, incluindo aquisição de câmeras, instalação de equipamentos e manutenção do parque tecnológico já existente, está orçado em aproximadamente R$ 8 milhões. Os recursos relativos à aquisição de equipamentos são oriundos de convênio firmado com o Ministério Justiça. Já os serviços de instalação e de manutenção são provenientes de contratos firmados com empresas licitadas.

 

Oito regiões administrativas contam com o videomonitoramento Urbano implantado: Plano Piloto (área central), Taguatinga, Ceilândia, Samambaia, Riacho Fundo I e II, Recanto das Emas e Águas Claras.

 

A expectativa é que até o final do 1º trimestre de 2020 tenhamos mais 12 regiões administrativas atendidas pelo projeto, totalizando 20 RA´s, ou seja, 60% monitorado. E até o final deste ano mais nove RA´s estarão com o Projeto de videomonitoramento Urbano implantado, totalizando o previsto em contrato para aquisição das câmeras.